top of page

Exposição VIRAGEM realizada entre Novembro e Dezembro de 2022 na Galeria Tilda localizada na despensa de uma casa em Lisboa. 

Viragem reúne peças que documentam um movimento onde se procura uma nova maneira de viver. Essa busca implica uma “travessia” para o entendimento dos valores que podem se transformar e nos trazer coragem para habitar entre as incertezas. Nesse novo entendimento de como podem ser as coisas, as transparências podem ser mais translúcidas e opacas.

(...) possibilidades de pensarmos sobre aquilo que podemos ser. Parece-nos haver uma estreita relação entre entendimento e maneira de viver, sugerindo-nos que a partir do entendimento, pode o homem imprimir a si mesmo uma nova maneira de existir. (Ana Carolina Costa Moreira)

 

Ao longo desta exposição, projeta-se um olhar sobre a superfície em que os objetos revelados ou removidos invertem a nossa percepção do espaço e que nos permite transportar para campos de encontros.

(...) A superfície asfaltada, atacada por raízes por baixo e pela ação do vento, chuva e geadas por cima, eventualmente racha e se espedaça, permitindo às plantas crescerem através dela para se misturarem e se ligarem novamente à luz, ao ar e à umidade da atmosfera. (Tim Ingold)

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/7

Opa-cidade. (2019 - 2022). Parte do livro fotográfico 28x24,5 cm. Original 24 páginas.

Estar invisível e presente ao mesmo tempo a frente de superfícies opacas.

Trabalho contínuo no Instagram https://www.instagram.com/andrea_ebert_opa/

Ticket_transport. (2018 - 2022). 258 slides expostos numa caixa com uma lente.

Num dia com uma enxaqueca infernal na cidade ensolarada de Seul, decidi fazer uma travessia subterrânea. Sem destino e hora marcada, embarcava e desembarcava nas plataformas. Fotografias posteriormente colocadas em ordem cronológica no instagram www.instagram.com/ticket_transport/

Pára-sol. (2022). Vídeo sem áudio - 5’55’’ projetado por uma caixa com lente.

Após vários registros de como um pára-sol pode se comportar, este objeto passa a ser uma coisa viva que possui um desejo de expandir-se e pertencer a um outro espaço.

Fluxos. (2021). Registros em videovigilância - 5’ em loop.

Experiências sobre detectar movimentos da respiração e possíveis circulações de acessos.

bottom of page